domingo, julho 31, 2011

É justo

Há que ser justo. A cota não é realmente cota, tem mais três anos do que eu e conserva a sua beleza acima da média, intacta. Basta dizer que já tinha reparado nela como uma das mulheres mais bonitas que vejo na noite. Depois os equívocos. Ela não fodeu com mais ninguém, não fodia há 7 anos, eu sou um bocado paranóico. Pelo contrário, não há grandes hipocrisias, é jogo aberto porque ela é tão (ou mais) ciumenta como eu. Depois há o sexo, e aqui ela faz toda a diferença. Basta dizer que consegue retirar o melhor de mim. Não basta. É preciso dizer que passamos dias e horas sempre a foder, como orgasmos de parte a parte facilmente sincronizados e desejo mútuo. E ela mexe-se muitíssimo bem. É justo dizê-lo...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial