sexta-feira, maio 09, 2014

Tirar a barriga de misérias

Há coisa de mês, mês e meio, encontrei S., por acaso, passado um ano. Apareceu no bar com uma amiga. Era uma açoreana bem bonita, que tinha conhecido numa festa. Eu estava em speed e tinha bebido bastante. Voltei a encontrá-a num after na mesma noite. Voltei a conversar com ela várias, ofereci-lhe da minha bebida. Um amigo e uma amiga minha iam tomar pequeno almoço a uma pastelaria perto da minha casa. Convidei-a e ela aceitou. Chegados à pastelaria, disse-lhe que tinha de vir a casa buscar dinheiro e convidei-a a vir comigo. Chegámos ao quarto e beijámo-nos, mas não quis foder. Já no hall de entrada fiz uma última tentativa, mas desta vez meti-lhe os dedos bem adentro daquela cona húmida e molhadinha. Fodi-a ali mesmo. Era linda, com boas curvas e tinha um par de mamas enorme, que nem conseguia agarrar com uma só mão. Levei-a para a cozinha com medo que alguém nos ouvisse e fodi-a em cima da mesa. Vim-me passado pouco tempo dentro dela e deitei uma tonelada de esperma... Voltámos à pastelaria e convidei-a a voltar a minha casa para terminarmos o serviço como deve ser. Não aceitou. Voltei a tentar falar com ela no FB mas mostrou-se fria. Foi vista em outras festas. Dizia adorar mandar drogas. Pareceu-me borderline. Não voltei a vê-la nem a contactá-la.

Passado oito dias veio-me visitar outra S., esta de Lisboa. Tinhamos uma foda por dar, que ficou a meio caminho, há mais de 5 anos. Fomos para os copos Tive de ser sempre eu a pagar e a puxar pelo dinheiro e não curti, até porque ela tem um bom emprego e ganha o triplo do que eu ganho. Mas embebedei-me, levei-a para o Jardim da Praça e fodi-a ali mesmo, entre um muro e uma valeta. Pelo meio, mandei um espalho e por pouco não parti as costelas, ainda tenho essa marca. Vi-me dentro dela. Fomos comprar a pílula do dia seguinte e viémos para minha casa dar a segunda, agora com camisa de vénus e preliminares e minete como manda a lei. Não me fez nenhum broche e não curti. Não tinha muito vício de foder e era muito magra, mamas quase nenhumas e era só ossos. Parecia que estava a foder um esqueleto, uma uma vítima de Aushwitz. Nem conseguiu acabar a foda, e queixava-se que tinha a cona a arder. Fiquei sem vontade de repetir.

Não posso dizer que isto seja felicidade, mas pelo menos no que toca ao sexo tirei a barriga de misérias.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial