quarta-feira, setembro 30, 2009

Porquê

Durante todo o tempo a mesma questão me vinha à memória. Porquê?

Dela não havia nada a dizer. Qualquer palavra era um segundo desperdiçado. Alguns conseguem até ter bastante sucesso em situações onde o que conta é simplesmente o sangue frio e a total ausência de quaisquer sentimentos em relação a terceiros. A sua verdadeira personalidade, que sempre se esforçou por ocultar, era o completo oposto do papel que representava por fora. Era uma psicopata. Pregava a paz mas assassinava a sangue frio.

Deles apenas uma permanente desilusão, um desprezo infinito. Em tantos anos descobri que não tinha construido uma única amizade, nenhum deles ousou poupar-me ao sofrimento.

Ilusão-Representação

No final de contas, fiquei esvaído em sangue.

Uma profunda desilusão, revolta e despespero.

Seríamos amigos como antes, como antes de terem nascido.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial