domingo, junho 20, 2010

O Amor como um jogo: Marcel Proust

Marcel Proust, 1871-1922, escritor francês

A vida é semeada por esses milagres que só as pessoas que amam podem esperar.
À Sombra das Jovens Raparigas em Flor

Amar é, de alguma maneira, como nas histórias, e nada se pode fazer até que o encantamento cesse.
O tempo recuperado

Quando o amor é muito grande, é inimaginavelmente pequeno o papel da mulher real.
À Sombra das Jovens Raparigas em Flor

O amor é um exemplo flagrante do pouco que a realidade é para nós.
Albertina desaparecida

Podemos estar junto da pessoa amada e, apesar disso, não a termos connosco.
Sodoma e Gomorra

No amor, o que é perigoso e gerador de sofrimento, não é a mulher em si mesma, mas a sua presença diária, e a curiosidade constante sobre o que ela está a fazer
O tempo recuperado

Só amamos o que se nos apresenta como algo de inacessível; não amamos o que já possuímos.
A prisioneira

A possessão do ser que se ama é uma alegria ainda maior do que o amor.
A prisioneira

Muitas vezes, só descobrimos ou sentimos que estamos enamorados no dia da separação.
Albertina desaparecida

É um grande sofrimento deixar-se a vida sem nunca se conhecer como teria sido beijar a mulher que tanto se amou.
O caminho de Guermantes

Nas pessoas que amamos, imanente a elas, há um certo sonho que se persegue e que nem sempre sabemos discernir.
O tempo recuperado

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial