domingo, junho 20, 2010

Da Amizade

Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade.
Confúcio

A gente não faz amigos, reconhece-os.
Vinícius de Moraes

Ter muitos amigos é não ter nenhum.
Aristóteles

Deus me defende dos amigos, que dos inimigos me defendo eu.
Voltaire

A infelicidade tem isto de bom: faz-nos conhecer os verdadeiros amigos.
Honoré de Balzac

No final, não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos.
Martin King

Escolho os meus amigos pela sua boa apresentação, os meus conhecidos pelo seu bom carácter e os meus inimigos pela sua boa inteligência. Um homem não pode ser muito exigente na escolha dos seus inimigos.
Oscar Wilde

Não te interesses sobre a quantidade, mas sim sobre a qualidade dos vossos amigos.
Séneca

Quem tem mil e um amigos não encontra um disponível; quem tem um inimigo encontra-o em todo o lado.
Samuel Johnson

É mais vergonhoso desconfiar-se dos amigos do que ser por eles enganado.
François La Rochefoucauld

Entre amigos as frequentes censuras afastam a amizade.
Confúcio

Todos se dizem amigos; mas doido é quem acredita: nada há de mais banal que esse nome; nada é mais raro do que isso.
Jean de La Fontaine

Certos amigos dispensam-nos de ter inimigos.
Mário Silva Brito

Quanto mais longa a explicação, maior a mentira.
Provérbio Chinês.

Crianças e loucos falam verdade.
John Lyly, 1554-1606, escritor inglês, Endymion

Se não é verdade, foi muito bem inventado.
Giordano Bruno, 1548-1600, filósofo italiano, Degli Eroici Furori

O bom senso é a mais bem distribuída mercadoria do mundo, já que cada homem está convencido de que a possui em alta quantidade.
Descartes, 1696-1650, filósofo francês, Discurso do Método

Devemos respeitar, em regra, a opinião dos outros de modo a evitar a fome e permanecer fora da prisão; mais, é submissão voluntária a uma tirania desnecessária.
Bertrand Russell, 1872-1970, filósofo e matemático inglês, The Conquest of Hapiness

Atira todos os preconceitos porta fora, e eles voltarão pela janela.
Frederico o Grande, rei da Prússia, 1712-1786, Oeuvres Complètes (carta a Voltaire)

O «justo» e o «certo» são ditados pelos interesses do partido mais forte.
Platão, 429-347 a. C., filósofo grego, A República

Se persegues realmente a verdade, então, deves, pelo menos uma vez na vida, tão profundamente quanto possível, duvidar de tudo.
Descartes, 1696-1650, fil￳sofo franc↑s, Discurso do M←todo

Todos os homens julgam os limites do seu campo de visão como os limites do mundo.
Arthur Schopenhauer, 1788-1860, filósofo alemão, Parerga e Paralipomena

Tivesse sido o nariz de Cleópatra mais curto, e toda a face do mundo teria mudado.
B. Pascal, 1623-1662, filósofo, físico e matemático francês, Pensamentos

Em quase todos os casos, o poder detido por um homem é um indicador do tamanho do seu harém.
Laura Betzig, em Matt Riddley The Red Queen

O facto de a guerra constituir um espectáculo horroroso deve levar-nos a encará-la mais seriamente, mas não constitui uma desculpa para que quebremos gradualmente as nossas espadas, em nome da humanidade. Mais cedo ou mais tarde alguém virá com uma espada aguçada e arrancar-nos-á os braços.
Carl von Clausewitz, 1780-1831, general e teórico da guerra alemão, On War

O agressor é sempre uma amante da paz. Ele prefere ocupar-nos o país sem oposição.
Carl von Clausewitz, 1780-1831, general e teórico da guerra alemão, On War

Dois amigos são uma mesma alma vivendo em dois corpos.
Citado por Diógenes Laércio em Lives of Eminent Philosophers

Meus caros amigos, não há amigos.
E. Kant, 1724-1804, filósofo alemão, Fundamentos da Filosofia dos costumes

Não há amizade sem reciprocidade.
Michel Tournier, escritor francês, Petites proses

É mais vergonhoso duvidar de um amigo do que ser enganado por ele.
Rochefoucauld, 1613-1680, filósofo francês, Maximes

Um verdadeiro amigo não aprova os erros do seu amigo.
N. Malebranche, 1638-1715, filósofo francês, Recherche de la vérité

A sorte escolhe as tuas relações, mas és tu que escolhes os teus amigos.
Jacques Delille, 1738 - 1813, poeta francês, Malheur et Pitié

Oferecer amizade a quem deseja amor, é dar pão a quem morre de sede.

Para encontrar um amigo temos que fechar um dos olhos. Para mantê-lo, os dois.
Norman Douglas, 1868-1952, escritor escocês, Almanac

Não há amigos. Há momentos de amizade.
Jules Renard, 1893-1898, escritor francês, Journal

A amizade é mais perigosa que o ódio dos fracos.
Marquês de Vauvenargues, 1715-1747, moralista e ensaísta francês, Réflexions et maximes

Como o amor, a amizade funda-se no respeito e acaba com a manobra.
G. Berger, 1896-1960, filósofo francês, Atti del XII Congresso di filosofia, Venezia, 1958.

Não têm alma de amigos, mas apenas o seu nome, aqueles cuja amizade não resiste à desgraça da nossa sorte.
Eurípedes, 480-406 a. C., poeta grego, Oreste

O infortúnio mostra aqueles que não realmente nossos amigos.
Aristóteles, 384-322 a.C., filósofo grego, Ética a Nicómaco

A amizade é incompatível com a adulação, a lisonja, e a baixa complacência.
Cícero, 106-43 a. C., ., filósofo e político romano, Da amizade

Aquilo a que chamamos vulgarmente amizades mais não é do que segredos e familiaridades gizadas pela ocasião e pelo comodismo.
Montaigne, 1533-1592, escritor francês, Essais

O que os homens designam por amizade não é mais do que uma sociedade, uma combinação de interesses, e uma troca de bons ofícios; não é, enfim, mais do que um comércio onde o amor-próprio se propõe ter sempre qualquer coisa a ganhar.
Rochefoucauld, 1613-1680, escritor francês, Maxims

A amizade comporta, como o amor, os seus ciúmes e as suas susceptibilidades.
Eric Blondel, escritor e filósofo francês, L'Amour

Uma verdadeira amizade é tão rara como um cisne negro.
E. Kant, 1724-1804, filósofo alemão, Fundamentos da Filosofia dos costumes

Acreditem-me: a mais estúpida das mulheres pode controlar um homem esperto; mas é preciso uma mulher muito esperta para controlar um louco.
Rudyard Kipling, 1865-1936, escritor inglês, Plain Tales from the Hills

Chegará um dia em que tu, que agora foges ao amor, te verás velha e abandonada, condenada a passar a noite sozinha, no teu leito gelado. Por tua causa não se levantará nenhuma disputa nocturna querendo forçar-te a porta, nem, pela manhã, terás rosas espalhadas junto da soleira.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial