quarta-feira, janeiro 06, 2010

Mulheres-elefante


Aplico teorias estranhas. Às vezes percebo um pequeno pormenor e ponho-me a interpretá-lo, tentando generalizar e categorizar o todo, tentando criar uma imagem caricaturada . Faço analogias, uso heurísticas, resumo conclusões. É como se tentasse imaginar o interior, como se quisesse imaginar a realidade a partir de dentro. Tenho sempre presente o receio de criar uma imagem idealizada. Preocupo-me então em não ultrapassar certos limites.

Ás vezes sonho que vou cair no interior de um buraco negro
.

É estranho como um pequeno pormenor parece sugerir o que está lá dentro. É assustador como a minha intuição consegue querer pressentir. Será que é uma pista, e a seguir? Acontece-me recriminar-me quando ignoro a minha intuição.

Pressinto egocentrismo como um sinal de perigo.

O egocentrismo. Com esses óculos vejo monstros, a espécie humana. Por vezes olho e vejo autênticos personagens de filmes de terror. Parecem-me zombies desfigurados, mutantes com quistos.

Tais seres abomino.

Algumas mulheres aos meus olhos transformam-se assim em
mulheres-elefante.

É apenas uma teoria entre tantas.

Mas porquê?


Cio
, Poder, Estatuto Social.


Não quero acreditar nas palavras, mas sim nas outras pistas.


Antes, abdicava do meu auto-controlo em troca de uns minutos de prazer.

Mas será que vale a pena?

Não me apetece.

Não quero ser aquilo que elas querem que eu seja.


Faço fintas para não
voltar a acordar na cama de uma mulher elefante.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial