sexta-feira, dezembro 22, 2006

Acabei de descobrir que estou loucamente apaixonado por Guida. Já não há confusão nenhuma. Eu quero, amo e desejo Guida, mas tudo se pareceu desde o início conciliar para tornar esta paixão inviável. Desde logo Margarida é uma miúda (e digo miúda e não mulher) apaixonante, mas também romântica e muito sensível. E eu nunca tive jeito para lidar com a sensibilidade das mulheres porque sempre fui demasiado pragmático e artificial, representando o padrão da masculinidade que inclusivé acho ridículo. Mas foi o único que me deu alguns resultados.

Por isso não sei que fazer. Eu gosto de Guida, mas fui deixando passar as oportunidades, e tudo parece tão díficil agora... Mas hoje quando a vi, quando falei, quando bebi, quando fumei com ela só me apetecia abraçá-la e beijá-la como se o Mundo todo fosse deixar irremediávelmente de existir a partir desse beijo... Parece-me ainda agora uma compulsão irresistível, e inegável.

Mas há um problema. Laura. Embora me sinta bem com Laura, sempre soube que Laura era uma relação passageira e ela no princípio também. Mas depois começou a querer mais do que isso, e embora não a possa condenar porque nunca a procurei demover objectivamente, agora sinto que não posso continuar com ela...

Estou apaixonado por Guida. Mesmo que nunca venha a ter nada com ela (apesar do fim de tarde maravilhoso que passámos hoje) sinto que tenho de acabar com Laura. Guida chama-me para algo mais do que passar umas noites agradáveis, e eu estava inconscientemente à espera dela...

1 Comentários:

Blogger vanus disse...

Ainda pensei que a Ana tivesse sido a paixão mais rápida, e simultaneamente consumida, que alguma vez ouvi falar. Não que não as haja... :)

segunda jan 01, 04:25:00 da tarde 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial