quinta-feira, janeiro 13, 2005

Acordando




Fora das rotas da noite, por esta hora levanto-me. Prisioneiro das madrugadas, hoje acordei liberto. Não liberto do sentimento, mas liberto de mim. Hoje não me castiguei, não me puni. Dormi muito tempo, e consegui acordar. Sem medos, sem remorços, sem nós na garganta.


Acordei conformado, e não senti frio. Senti até uma certa relaxamento. Não tive pressa de me levantar. Abri os olhos e meditei. Desta vez os ponteiros do relógio não rodavam no sentido inverso ao meu. Fiz as pazes com o tempo, e o tempo perdoou-me. Senti-me bem, e deu-me a sensação que os deuses me tinham dado uma segunda oportunidade. Justamente hoje. Renasci.


A ânsia e sufoco permanente de outrora, desapareceram, assim, de um momento para o outro. Deixei de ter medo, e hoje não me vou esconder. Esta noite não me auto-mutilei até ao nascer do sol, não me chicoteei até perder as forças, não me esvaí em sangue, até desmaiar e por fim conseguir adormecer. O cansaço tomou conta de mim, e deu-me repouso. Descansei o corpo e a alma. A serenidade fez uma visita, e prometeu ficar por cá...


1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Hello,

Sorry to post in english but I do not speake a word of portuguese ;-)

I've seen you've refered the photo to my blog (thanks very much), but the photo really belongs to http://www.designertoday.com/tabindex-0/tabid-94/DesktopDefault.aspx

Best regards

IHQ

domingo fev 06, 10:06:00 da manhã 2005  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial