quarta-feira, julho 15, 2015

Crueldade

Nunca pensei que chegasse a este ponto. Perdi a esperança de ser feliz. Foste a única mulher que amei e não sinto nada pelas opções que tive em alternativa. É normal isto? O tempo passa e nada muda, pelo contrário, só fico mais desesperado ao saber que as portas se fecharam para sempre. Parece um castigo divino, a vingança perfeita. És feliz assim? Porque não me respondes? Não consigo perceber. 

Aquando da nossa última tentativa de reaproximação pensava ingenuamente que nunca mais nos iríamos separar. Se o objectivo fosse compreender que não consigo viver sem ti, posso-te assegurar que foste bem sucedida. Sinto a minha vida como uma final perdida, após o jogo derradeiro. Nunca imaginei que pudesse amar tanto uma pessoa e que me pudesse sentir tão mal por tê-la perdido. À media que os anos passam, a perda irremediável se torna mais real e irreparável

Porque achas que investi o meu suor, que terminei uma relação, que fiz o que podia e desisti de tudo para ficar contigo? Como achas que me tenho sentido depois de me abandonares vezes infinitas para ficares com alguém que não amas? Porque me condenas a ser infeliz e te condenas a ti também?

Tentei-te esquecer. Sofri inúmeras noites em branco, sem conseguir pregar olho, sempre a pensar em ti, ano após ano, sem nunca conseguir que isso desaparecesse. Mesmo assim resisti a incomodar-te, tentei aceitar a tua decisão. De que valeu? Nada. Após estes anos, estou na mesma... Não consegui nem nunca conseguirei esquecer-te.

Enviei-te inúmeros emails, mensagens, até te liguei e desligaste o telefone. Até à tua irmã escrevi em desespero a pedir informações que me pudessem ajudar a tirar daí a esperança. Procurei-te, desloquei-me à cidade vizinha sempre que podia para te ver sem ser visto. Tudo para me votares a esta solidão, a este desespero. A resposta foi sempre nenhuma. Que posso eu mais fazer perante uma ausência de resposta que fala por si?

Passo a vida a tentar ajudar outras pessoas a enfrentarem e resolverem os seus problemas. As possibilidades que me dás para tentar resolver esta dor que sinto, o maior problema da minha vida, que não depende de mim, e que não consigo ignorar nem esquecer são menos que zero. Nunca me respondeste. Se me visses nem me falarias. Que custava responder a um email ou uma mensagem, atender um telefone, ou falar-me no Facebook? Começo a acreditar que gostas de me ver sofrer, que te dá um certo prazer veres-me assim e que não me queres libertar. Parece haver um lado sádico no teu inconsciente que nem me quer junto de ti, nem me quer ver feliz com outra pessoa. Ando assim desde aquele dia de Janeiro, a sofrer, a dar voltas e voltas à cabeça,  todas as noites a pensar nisto, e até hoje não entendo porque me tratas assim. Por muito mal que tenha feito, acho que ninguém merece sofrer tanto. Até acredito que não sintas nada por mim. Mas nem para uma pessoa que me fosse indiferente eu conseguiria ser tão cruel.

Peço-te por favor que me respondas.
A única coisa que quero é ser feliz contigo ou ouvir da tua boca que não me queres para conseguir seguir em frente.

PS:Envio-te um relato antigo das nossas conversas de msn, em que dizes várias vezes que não amas o teu namorado e que eu fui o teu grande amor. Também tu foste o meu grande amor. Porque não estamos juntos então?


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial