sexta-feira, agosto 08, 2014

Paz de Espírito

Por vezes ainda dou por mim a pensar em L. Imagino-a triste e deprimida, e acho que é merecido, só se tem a ela própria para culpar. E pensar que imaginei ficar com esta mulher até ao fim da minha vida... Como seria estar com uma pessoa morta para a vida, afogada em anti-depressivos, sem líbido nem desejo sexual nenhum, e agarrada às aparências e às expectativas pequeno-burguesas da mãe e da família do namorado? Poderia ser muito bom se ambos nos amássemos, mas foi ela quem não quis, foi ela que desistiu. Quanto mais penso nisso melhor me sinto com a minha consciência. Apesar de tudo ainda penso nela, mas já não penso em suplicar, em fazer uma última tentativa. Estou tranquilo, fiquei em paz de espírito com a situação. A questão de lhe ter pedido o dinheiro foi um erro, uma vingança a quente, mas foi já depois do mal estar feito e dela ter acabado comigo, por isso não teve influência nenhuma. Acredito que foi pelo melhor, se alguém nos deixa é porque não nos ama verdadeiramente. Agora só quero conhecer pessoas novas, conhecer uma mulher que eu ame e que me ama na mesma medida, e com quem possa viver um grande amor.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial