quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Estranha Sensação


Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a fumar sôfregamente
mesmo quando sinto já os pulmões cancerosamente a arder

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a dançar frenéticamente
mesmo quando sinto que já nem forças tenho para caminhar

Que estranha sensação esta
que me a leva a continuar a abrir a boca e falar
mesmo quando sei que nem eu próprio me suporto mais ouvir

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a escrever com esta caneta sem tinta
mesmo quando sei que nunca ninguém vai compreender nada quando ler

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a ouvir esta música deprimente
mesmo quando sei que sou eu próprio que me condiciono propositadamente

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a sonhar inconscientemente
mesmo quando sei que ao longe vão parecer apenas dias e não madrugadas

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a perseguir um final idílico
mesmo quando sei que o início desta história nunca
foi sequer reconhecido

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a ir esperar ao terminal diáriamente
mesmo quando sei que nesta estação abandonada já não passam comboios

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a acreditar em pista falaciosas
mesmo quando sei que são apenas folhas que o tempo quis levar e que o medo tentou depois queimar

Que estranha sensação esta
que me leva a continuar a ___________________
mesmo quando sei que a intimidade de um olhar não foi nunca suficiente para fazer ninguém voltar

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial