sexta-feira, dezembro 21, 2007

Estou perdido. Não sei que fazer com aquela gaja. Não paro de pensar em Maria. Andei enrolado com outra mas nunca consegui deixar de pensar nela, de procurar os sítios que ela frequenta. Encontrei-a na noite pelo menos uma vez por semana e passei sempre por ela como se não a conhecesse. Até que hà uma semana atrás falei com ela. Cumprimentei-a com dois beijos e ela respondeu que ainda bem que eu finalmente a cumprimentava, desde a última vez (Julho). Atá aí só lhe dirigia longínquos olás se tivesse mesmo que ser. Perguntei-lhe se estava bem, disse que não, num tom dramático que no mundo idílico faria pressupor que era por minha culpa. E segui caminho, desapareceu da discoteca ainda cedo e muitíssimo bêbada, nunca a tinha visto assim. Entrei em completo pânico e só descansei quando falei com ela por messenger na segunda (isto tinha sido na noite de quinta). Não fosse um facto de ter deixado cair o telemóvel pela varanda num local sem acesso, com uma grande trip de um bocado de ácido que me deram, e ter-lhe-ia mesmo mandado uma mensagem a perguntar porque estava ela mal. Mesmo depois de o ter deixado cair no abismo, ainda pedi um a um amigo que me teve a aturar o devaneio da droga, mas felizmente entretanto enquanto pensava e decidia o que escrevia, processo que decorreu horas, o telemóvel ficou sem bateria. Enfim, o impulso lá saiu pelo msn de maneira a causar o menor estrago, mas saiu e denunciou-me. Para piorar a situação ela estava a demorar horas a responder, embora fosse escrevendo num tom amistoso de quem pelo menos ainda se lembrava bem de tudo, mas eu passei-me a certa altura e disse antes mesmo de sair extemporaneamente para ela me ligar a marcar encontro para pôr a conversa em dia. Estou na merda. Ela ainda tem o número, mas como é óbvio não respondeu. Acho sinceramente, apesar de gostar de imaginar que não, que ela sempre gostou e ainda gosta de mim, que ela está noutra "onda". É claro que se gostasse de mim tinha feito tudo de forma diferente. Mas não consigo esquecê-la. Não está a ser tão fácil nem rápido como gostaria. Não sei que tem ela de tão especial, mas sempre gostei da forma dela de ser, e achava que com ela faria o par perfeito. Ela correspondia às minhas fantasias. Podia passar sem o sexo com ela que não me aborreceria um minuto. Ela sempre me fascinou a todo o tempo, e não percebo porquê. Estou mesmo mal. Passo o dia e a noite inteiros a pensar nela mas isto não parece estar a passar com o tempo. Ela está-se a cagar, senão pelo menos preocupar-se-ia com as minhas figuras de urso. Disse-lhe um olá aqui no msn e nem respondeu. Pedi desculpa pelo outro dia, e ainda me enterrei mais. Pelo menos está a ser sincera, não está a alimentar falsas esperanças. Vou ali comprar um bocado de bolota a ver se isto me passa...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial