quarta-feira, agosto 22, 2007

2046

Solidão, a eterna solidão. Obriga-me a correr desenfreadamente para fugir de mim próprio, não, não quero pensar, quero ter a mente totalmente mergulhada no presente, não quero ter nunca que ficar com o que deixei lá atrás. De que nos serve esta tortura? Que nos dá a solidão. E no entanto não me larga nunca por muito tempo. Que fazer com ela? Já que tenho que a suportar, qual a melhor forma de conviver com ela? E se não me apetecer pensar, como vou afastar o pensamento?

Nós seremos sempre nós próprios, nunca teremos a capacidade de abandonar completamente o nosso corpo e desaparecer no próximo. Porquê então esta infinita necessidade, este desejo crescente e infindável de nos projectarmos noutra alma que nos fascine?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial