domingo, janeiro 29, 2006

Sim, estou fraco, estou cansado, estou triste, na maior merda. Posso parecer derrotado, mas nunca o admitirei. Posso até chegar a oferecer de bandeja, àqueles que um dia me previram a queda (pelo ódio que lhes suscitava o meu olhar confiante, ou pela minha forma de nunca admitir um ponto fraco) a ilusão que é desta. Seria. Em muitos aspectos, dou-lhes a razão, assim, sem mais. Estou farto de errar, e continuo a errar sucessivamente. Admito agora os meus erros distantes, mas os mais recentes deito para trás das costas e fujo deles o mais depressa que posso. Só daqui a uns anos, quando já não for possível fazer nada, me aperceberei dos problemas que deixei por resolver perante os outros e perante mim próprio. Entretanto espero... Prepositadamente, até que já seja tarde demais, até que seja já de todo impossível voltar atrás. É a solução mais dolorosa. Mas também a mais fácil, e a mais eficaz.., pelo menos para os outros...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial