terça-feira, novembro 25, 2014

Martírio

Não consigo, é um martírio. Não consigo esquecer. Quanto mais tempo é preciso? Conhecer alguém? Venha ela rápido! Não aguento isto. Deito-me a pensar. Acordo a sonhar com ela. Hoje sonhei uma vez mais. Entro num quarto onde ela está sozinha. Não estamos juntos há anos. Ela não diz nada. Chego ao pé dela. Está vestida com um vestido preto de verão a olhar-se ao espelho. Ela sabe que eu estou ao seu lado. Olha para o chão. Não diz nada nem resiste. Sinto que ainda me ama. Parece que nem um dia passou. Sente-se o éter carregado de electricidade estática. Acerco-me dela e toco-lhe o ombro. Nem uma palavra. Abraço-a. Não resiste. Esforça-se por não chorar no meu peito. Beijo-a. Fazemos amor. Digo-lhe que não podemos viver assim, que temos de largar tudo para estarmos juntos. Nada responde. No final, digo-lhe que tenho de sair mas que vou voltar, para esperar por mim e não sair dali. Quando volto já não está. Estará novamente com o namorado, de volta á vida de merda que escolheu. Não quis esperar por mim, não quis largar tudo para ficar comigo. Toca o despertador. São horas de ir trabalhar.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial