segunda-feira, outubro 18, 2010

As leis de Murphy

Na verdade, não a amava, mas sim à personagem que encarnava um ideal, o meu ideal.

Vive-se na falsidade. Más sensações, e a intuição faz-nos querer acabar com o pesadelo. No final, readquire-se a certeza do individual. Desaparece a instabilidade, mas não a ânsia permanente. Vamos sempre ouvir mentiras e não conseguimos confiar, mas temos de andar e calar. Pessoas infelizes usarão qualquer palavra como arma, atacar como defesa. Eles são a encarnação das leis de Murphy, e esse é o seu "estilo". Pode que ter a ver com adolescência. Adoptam-se linhas de comportamento. O neurótico constrói castelos no ar, o psicótico habita-os. Eu quero distância tanto duns como doutros.

A verdade cai como um terramoto. Pessoas usam outras como consumistas para terem mais poder e influência social. Perdidos os ideais, entra-se em paranóia, em espiral. Não se confia em ninguém. O filósofo adoece e morre de cancro fulminante, e sobra a culpa. O homem estava a morrer.

Depois do teorema do hipópotamo, o animal mais feio da terra, saí e tentei gozar a vida de forma independente. Passei algumas noites com uma arquitecta dominadora de serpentes, loura, hippie. Não falávamos muito. Já voltou para lá. Eu estava completamente fodido, mas algumas eram inesquecíveis e aquela fazia-me sentir como se tivesse 18 anos. Antes de ir embora estava grávida, mas fiz contas e meu não era.

Voltei a ver Lucia e a sair com ela durante um ano, formalmente. Conseguimos ser amigos e ainda nos desejávamos. Nada fora esquecido, mas ela escolheu o outro, não sem antes ficar em dúvida. Já muito antes tinha sido ..., mas nessa altura andava confuso. Conheci mulheres. Viajava patrocinado pelo alcool, e o verão foi inesquecível. Conheci duas com quem foi crescendo a química, mas foram à vida delas. Bebo e fumo desalmadamente, à noite saio. Escrevo, vejo séries, leio, mas tornou-se rotina. Quero viver em liberdade e aqui asfixiam-me.

Farto de tudo isto, farto de viver no passado, vou fazendo o trabalho de luto, uma nova etapa na minha vida, desistindo das fugas em frente, das soluções fáceis e da alienação total. Começo a preparar a minha vida para sair daqui. Dediquei-me ao trabalho, desisti de beber tanto e comecei a fazer desporto e a levar uma vida o mais reservada possível.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial